Logo Giro
Search
Close this search box.
giro

Vereadores de Barueri se manifestam contra decisão do STF, que suspendeu novo piso salarial da enfermagem

Logo Giro
"E faço um apelo ao Rubens Furlan. Tenho certeza que ele pagará o teto dos enfermeiros desse município. Barueri precisa dar exemplo e mostrar que aqui tem comando", disse o parlamentar Keu Oliveira (Divulgação/Reprodução Redes Sociais)

Em sessão realizada na Câmara Municipal, o vereador Keu Oliveira (PTB) afirmou: “Faço um apelo ao prefeito Rubens Furlan. Tenho certeza que ele pagará o teto dos enfermeiros desse município. Barueri precisa dar exemplo e mostrar que aqui tem comando”

“O ministro Roberto Barroso suspendeu por 60 dias. Mas acredito que não poderia ter feito”, afirmou indignado o vereador Keu Oliveira (PTB), na sessão realizada terça-feira (6), na Câmara Municipal de Barueri. O parlamentar abordou a suspensão dada pelo ministro do Superior Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, ao piso salarial da enfermagem no domingo (4). O piso foi sancionado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), em 4 de agosto, com veto. O magistrado deu 60 dias para que sejam prestadas informações sobre o impacto financeiro com o novo valor de R$ 4.750.

“Até mesmo quem pode pagar já deveria estar pagando. Municípios que não conseguem pagar devem correr atrás do governo federal e do governo estadual. Essas pessoas sofrem para salvar vidas. Conheço profissionais que trabalham em três empregos para complementar renda”, afirmou Keu, que acrescentou: “E faço um apelo ao Rubens Furlan. Tenho certeza que ele pagará o teto dos enfermeiros desse município. Barueri precisa dar exemplo e mostrar que aqui tem comando.”

O vereador Helio Junior (PL) também abordou a questão. “Aqui em Barueri temos uma defasagem grande. Conversamos no início do meu mandato com o prefeito para equiparar o salário da enfermagem. Precisamos nos unir para conseguir melhorar o salário desses guerreiros. Sem o enfermeiro e o técnico de enfermagem, o Pronto-Socorro e a UBS não andam”, disse ele.

Por último, a vereadora dra Claudia (PDT) se manifestou. “Fiquei feliz com a aprovação da lei, mas muito triste quando teve o veto de um ministro. A enfermagem traablhou demais com a covid-19. Foram cargas exaustivas em emergências e UTIs. Precisamos nos unir para lutarmos por um salário mais digno para esta classe, que faz horas extras para se sustentar porque aquele salário não é suficiente”, ressaltou Dra. Claudia, que também é a favor de mais qualificação na área da saúde.

Receba nossas notícias em seu e-mail