Logo Giro
Search
Close this search box.
giro

TJ mantém Lili Aymar afastada do cargo de prefeita de Araçariguama

Logo Giro
Lili foi afastado do cargo em outubro do ano passado (Foto: Divulgação)

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco, negou pedido de suspensão de liminar da 1ª Vara Cível da Comarca de São Roque que prorrogou o afastamento do cargo de prefeita de Araçariguama, Lili Aymar (PDT). Ela responde a um processo por supostamente ter cometido crime de improbidade administrativa. 

Em sua decisão, o presidente Pinheiro Franco levou em conta os riscos de manter Lili à frente da Prefeitura, “no nebuloso cenário em que se encontra envolvida, tanto mais presentes indícios concretos de potencial comprometimento da instrução”. “Restará à requerente, por corolário, a utilização das vias recursais normais para a veiculação de sua insurgência, como aliás já o fez, ainda que frustrada, ao menos por ora, a tutela recursal de urgência postulada”, diz a sentença.

Lili foi afastada do cargo após a prisão do marido, o ex-prefeito de Araçariguama, Carlos Aymar, em 15 de outubro do ano passado. Ele foi flagrado recebendo propina dentro do Paço Municipal. Além dele, o secretário de Governo na época, pastor Israel Silva. O Ministério Público de São Paulo apontou indícios que Carlos Aymar era quem comandava de fato o Poder Executivo do município. 

Na época, a promotoria elencou diversos fatos que levaram o juiz da 1ª Vara Civel de São Roque acatar o pedido de afastamento. Após ficar preso no presídio do Tremembé, Carlos Aymar foi beneficiado com a  prisão domiciliar no dia 28 de março.

Receba nossas notícias em seu e-mail