Logo Giro
Search
Close this search box.
giro

Covid-19 vira pauta política de pré-candidatos a prefeitos da oposição na região

Logo Giro
Dr. Lindoso, Fábio Teruel, Danilo Ferraresi e Welington Formiga

Se não houver modificação no calendário eleitoral falta exatamente cinco meses para as eleições do dia 4 de outubro. Nesta data serão escolhidos os prefeitos e vereadores que vão comandar as cidades de 2021 a 2024. Em um cenário normal, sem pandemia, neste momento as redes sociais dos pré-candidatos da região estariam lotadas de fotos de reuniões, dentre outros eventos permitidos por lei. Mas, o coronavírus trouxe uma nova realidade para a eleição 2020 e tornou-se o principal tema das pré-campanhas. Não existem outras propostas ou sugestões para outros segmentos. Em quase todos os vídeos o tema se resume ao combate à Covid-19, principalmente, com posicionamentos contrários às ações adotadas pelos atuais prefeitos que vão concorrer à reeleição.

Em Osasco, por exemplo, o vereador Dr. Lindoso (Republicanos) que é pré-candidato a prefeito tem publicado vídeos explorando o tema. Na maioria das vezes, o vereador aponta supostas falhas, do prefeito Rogério Lins (Pode), no gerenciamento da crise causada pela Covid-19. Lins disputará a reeleição.

No último vídeo, Lindoso questionou o número de respiradores existentes na cidade. Ele aponta que não é suficiente para atender a população. “Somando todas as unidades nós temos 34 respiradores, mas me disseram que estão pedindo mais. Se tivessem feito um planejamento e pedido rápido a cidade estaria com os respiradores para atender a população que precisa da ventilação. Já me relataram que estão escolhendo quem vive e quem morre nos hospitais”, disse.

Porém, o vereador não disse que em 26 de março, o Ministério da Saúde, que ainda era comandado por Luiz Henrique Mandetta, requisitou toda a produção nacional de respiradores. O objetivo era fazer a distribuição, garantindo acesso de todos os estados e municípios aos equipamentos. Porém, uma mostra de que a medida não foi tão eficaz é que o governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB) fez a compra de equipamentos na China, pois alega que ainda não recebeu equipamentos do governo federal.

Para rebater as críticas da oposição, o prefeito Rogério Lins fez uma Prestação de Contas, nas redes sociais, onde divulgou a quantidade de leitos destinados a pacientes infectados com o novo coronavírus. Segundo o chefe do executivo, são 218 leitos municipais – espalhados pelo PS do Santo Antônio (30), PS do Osmar Mesquita (20), PS do Jardim D’Abril (40), o Hospital de Campanha na Policlínica (70) e no Hospital Antônio Giglio (58). “A gente lamenta que num momento como este, ainda existem pessoas que fiquem politizando os fatos e espalhando fake news”, dispara acrescentando que o governo do estado entregou mais 20 leitos no Hospital Regional de Osasco. “Totalizando são 238 leitos para pacientes com coronavírus. Tem um vídeo nas redes que diz que Osasco está gastando R$ 800 mil por leito, isso é mentira, o nosso custo médio por leito é de R$ 1.385,68”, rebate.

Lindoso também criticou a cabine de higienização instalada em frente à Estação de Osasco. Para ele, não existe comprovação de que a estrutura seja eficiente contra o novo coronavírus. “Fazer o chuveirinho lá no Largo de Osasco que virou meme. Isso é piada”, acrescenta. Só que Osasco não foi a primeira cidade a instalar cabines de higienização. O mesmo tipo de equipamento foi instalado no Rio de Janeiro e, nesta semana, as estações de trem e metrô de São Paulo também vão adotar a mesma ferramenta de prevenção. No total serão 25 cabines instaladas nas estações.

A situação se repete em Barueri, onde o principal adversário do prefeito Rubens Furlan (PSDB), o radialista Fábio Teruel (Pode), tem utilizado as redes sociais para criticar a gestão do atual prefeito. Ele cobrou que os parlamentares aprovem a redução nos próprios salários, e também, na remuneração do prefeito. “Furlan na campanha passada o senhor tirou do bolso mais de R$ 1,5 milhão para investir na campanha eleitoral. Será que agora não dá para chegar junto com o povo?”, questiona o radialista que ainda estendeu as críticas aos vereadores. “Senhores vereadores não é para vocês se esquivarem. Essa é a hora. Vamos reduzir os salários”, completa.

Outro pré-candidato de oposição que tem feito o uso da pauta coronavírus na pré-campanha é o Dr. Danilo Ferraresi (PTB) que disputará a prefeitura de Santana de Parnaíba. Mesmo sabendo que Elvis Cezar (PSDB) não será candidato, o médico tem feito diversos vídeos criticando as medidas da administração no combate ao novo coronavírus. Em uma das postagens, o pré-candidato chegou a critica a ausência do prefeito Elvis Cezar em uma reunião, organizada pelo prefeito de Barueri, Rubens Furlan (PSDB). “Acompanhei o vídeo e gostaria de saber o motivo do prefeito Elvis Cezar não ter ido”, questiona Dr. Danilo.

No entanto, Ferraresi “esqueceu de comunicar” que o próprio prefeito Rubens Furlan disse que “não teve tempo” de convidar todos os prefeitos, por isso, muitos não estavam presentes na reunião. “Foi por um acaso que os demais prefeitos não vieram. Conversei com os três prefeitos e resolvemos fazer a reunião”, disse Furlan no vídeo que Ferraresi disse ter assistido.

Já em Cotia, o atual prefeito, Rogério Franco (PSD) tem reclamado da postura da oposição que tem criticado as medidas adotadas no combate à Covid-19. Segundo o prefeito, ele chegou a pedir que a oposição envie sugestões que possam contribuir com a cidade. “Pedi, mas eles apresentam propostas que são inviáveis ou que esbarram na legislação”, disse o prefeito de Cotia.

Uma dessas propostas foi apresentada pelo pré-candidato a prefeito Welington Formiga (PSB) que propôs a redução da tarifa municipal de transporte para o valor de R$ 2,00. No entanto, o pré-candidato não explica que existe um contrato em vigência e que para a redução de tarifa é necessário fazer subsídio às empresas.

Receba nossas notícias em seu e-mail