Logo Giro
Search
Close this search box.
giro

Funcionário da CPTM assassinado por colega de trabalho é sepultado em Osasco

Logo Giro
Marco Antonio da Silva, de 51 anos, morreu após ser baleado por colega de trabalho (Reprodução/Redes Sociais)

Polícia faz buscas para localizar o homem que atirou contra os dois colegas. Morador de Quitaúna, Marco Antonio da Silva chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

O corpo do funcionário da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) Marco Antonio da Silva, de 51 anos, foi sepultado, nesta terça-feira (27), em Osasco. O supervisor de tração, que era morador do bairro de Quitaúna, na zona sul de Osasco, morreu após ser baleado por um colega de trabalho, na tarde de domingo (25), na Estação da Luz.

GIRO POLÍCIA: Em megaoperação, Polícia Civil prende 12 pessoas por tráfico de drogas em Santana de Parnaíba e Cajamar

Segundo informações da Polícia, Marco foi baleado na região do tórax pelo maquinista Ricardo de Oliveira Dias, de 45 anos, em uma área internada da Estação da Luz. O supervisor chegou a ser socorrido e encaminhado à Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. O acusado também disparou contra outro funcionário, de 53 anos, que ficou com ferimentos no pé.

Pedido de prisão temporária

Imagens do circuito de segurança da estação registraram o suspeito fugindo do local após efetuar os disparos contra os colegas de trabalho. De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, antes de efetuar os disparos nos colegas de trabalho, o suspeito disse: “Eu quero ver você tirar sarro”.

Funcionário da CPTM assassinado por colega de trabalho é sepultado em Osasco
Polícia Civil faz buscas para localizar Ricardo de Oliveira Dias (Reprodução/Redes Sociais)

A Polícia Civil solicitou à Justiça um mandado de prisão temporário e faz buscas para localizar o homem que trabalhava há mais de 10 anos na CPTM. Ele era ex-policial militar.

Apreensão de munições

Na casa do suspeito, que segundo a polícia, deixou a corporação da Polícia Militar em 2006, foram localizados mais de 2.000 munições, além de peças de armas. A perícia vai analisar se a munição que atingiu as vítimas é a mesma que o suspeito guardava na residência.

CPTM se manifesta através de nota

Por meio de nota, publicada nas redes sociais, a CPTM informou que acionou a Polícia Militar e que colabora com as autoridades policiais. A empresa disse também que prestará assistência para os familiares do supervisor assassinado e do maquinista ferido. Veja a íntegra abaixo:

“Lamentamos profundamente a trágica perda de um dos nossos colegas de equipe em um ato de violência chocante ocorrido ontem. Estamos de luto pela vida que foi tragicamente interrompida e nos solidarizamos com a família, amigos e colegas que estão sofrendo com essa terrível perda. É momento de nos unirmos enquanto enfrentamos essa perda devastadora como uma comunidade. Descanse em paz, nosso querido colega. Você será lembrado com carinho e saudade”.

Receba nossas notícias em seu e-mail