Destaque 

Voto custou até R$ 18 por eleitor a eleitos

Valor. Bruna Furlan gastou pouco mais de R$ 2,3 milhões Votos x despesas. Renata Abreu teve custo 1/3 menor que tucana

A campanha de reeleição da federal, Bruna Furlan (PSDB), custou cerca de 3,5 vezes mais que da Renata Abreu (Pode). Para estadual, o parnaibano Cezar (PSDB) gastou 3 vezes mais que os demais.

A campanha da deputada barueriense custou R$ 2.324.932,46 e ao obter 126.847 votos resulta em R$ 18,33 cada. Abreu teve despesas de R$ 830.727,87 e com 161.239 votos o custo foi de R$ 5,15. Nesse caso, podem ocorrer alterações nos valores, pois a deputada recebeu R$ 1 milhão do Fundo Partidário e pode não ter declarados todas as despesas.

Marmo Cezar gastou três vezes mais do que os demais eleitos a um custo de R$ 3,91 por voto. Gilmaci Santos (PRB) desembolsou R$ 146.559,40 conseguindo 82.678 votos, o que equivale a R$ 1,77 por voto. Emidio de Souza (PT) informou R$ 114.596,90 de despesas e conquistou 65.898 votos, representando R$ 1,74 de cada eleitor.

"O peso do dinheiro nas eleições não é desprezível, o que tenderia a concentrar sucesso eleitoral nas mãos de partidos (ou candidatos) com mais recursos financeiros haver desqualificação do sistema representativo", diz, Mauro Macedo de Campos, professor da UFNF.