Destaque 

Polícia monta força-tarefa para investigar execução de secretário

Marcas de tiros no carro em que Osvaldo Verginio estava - Foto: Aloisio Maurício/Fotoarena

A polícia descarta a hipótese de latrocínio para a morte de Osvaldo Verginio. "Foi montada uma força-tarefa para que possamos chegar na autoria do crime", informou o delegado Igor Alves Guedes Oliveira. Verginio, de 55 anos, era secretário dos Transportes de Osasco, e morreu após ser baleado com ao menos seis tiros na madrugada de quinta (20), na R. Heitor dos Prazeres, Jardim Novo Osasco, periferia da cidade.

O político voltava da confraternização da secretaria com o motorista e a esposa do condutor quando parou para conversar com um pastor. Neste momento, um dos homens que estava numa Saveiro branca saiu do carro e efetuou 11 disparos. O suspeito vestia camisa cinza, calça preta e touca que não cobria totalmente seu rosto.

De acordo com o delegado, a Saveiro estava seguindo o carro do secretário. Os investigadores buscam imagens e analisam câmeras da região, pelo trajeto do carro do secretário. Fotos e imagens da festa também são analisadas.

O corpo de Verginio foi velado na Sala Osasco e sepultado no Cemitério do Bela Vista.

Veja também: