Destaque 

Pessoas físicas doam 39% dos recursos das campanhas

Pessoas físicas doam 39% dos recursos das campanhas
Com a reforma política que proibiu a doação de dinheiro de empresas para a campanha eleitoral, os partidos e os próprios candidatos encerraram o primeiro turno como os principais doadores na região oeste.
Os 46 políticos que decidiram concorrer ao cargo de prefeito receberam um total de R$ 10,5 milhões. A doação de pessoas físicas chegou a R$ 4 milhões - 39%. Os candidatos colocaram do bolso​ R$ 3,8 milhões e mais R$ 2,5 vieram dos partidos.

Aparentemente, ter a maior arrecadação pesou no resultado das urnas e a maioria dos prefeitos eleitos declarou ter recebido mais recursos. O ex-prefeito de Barueri, Rubens Furlan (PSDB) liderou na região com R$ 2,5 mi em recursos e R$ 1,9 mi gastos. Furlan e seu vice Roberto Piteri (PPS) depositaram R$ 2 mi do total.

Em Cotia, Rogério Franco (PSD) foi o vencedor e teve R$ 795 mil recebidos para a disputa, enquanto Quinzinho Pedroso (PSB) declarou R$ 589 mil. No caso de Itapevi, Igor Soares (PTN) somou R$ 905 mil, ante R$ 825 mil da candidata derrotada Dra. Ruth (PTB).

Na cidade de Santana de Parnaíba, Elvis Cezar (PSDB) foi reeleito com uma campanha que recebeu R$ 594 mil, bem mais que os R$ 32 mil do segundo colocado, Silvinho Peccioli (DEM).


Outras cidades

O vencedor em Carapicuíba Marcos Neves (PV) teve R$ 864 mil recebidos para a campanha e a segunda colocada Professora Sônia (PRB), R$ 325 mil. Neves foi o segundo a mais desembolsar dinheiro próprio na campanha com R$ 255 mil e também recebeu ajuda de três partidos, o PV, o PSB e o PMDB. Em Jandira, Paulo Barufi (PTB) teve R$ 77 mil e gastou R$ 87 mil. Também coube ao petebista ser o principal doador com mais da metade de sua arrecadação. Em Pirapora do Bom Jesus, os dois principais candidatos declararam arrecadações próximas - R$ 28,4 mil de Raul Bueno (PTB), eleito prefeito, e R$ 28,6 mil de Gregório (PMDB), segundo colocado.