Peccioli não descarta retorno em 2020

Em Santana de Parnaíba, eleição deve levar ao embate nome do grupo do prefeito Elvis Cezar e do ex-prefeito Silvinho - Foto: GIRO S/A

As articulações para as eleições municipais de 2020 estão a todo vapor e nomes de prováveis candidatos surgem nos bastidores da política regional. Em Santana de Parnaíba, o ex-prefeito Silvinho Peccioli (DEM) não descarta a possibilidade de ser candidato a prefeito da cidade. "As conversas acontecem e existe uma cobrança por parte de população que está insatisfeita com o governo, mas, ainda é cedo para falar sobre esse assunto", afirma.

Sobre as contas de 2012, rejeitadas pela Câmara e que podem impedir a candidatura a prefeito, Peccioli garante que o julgamento foi político. "A conta chegou à Câmara em 2014 e ficou engavetada. Só depois da eleição de 2016, quando o prefeito [Elvis Cezar] conseguiu maioria, levaram à votação. Não observaram prazo, não me deram chance de defesa. Então, vamos ingressar com a revisão dessa decisão e espero que até a eleição já tenha resolvido esse impedimento", explica.

Já em relação à gestão do prefeito Elvis Cezar (PSDB), Peccioli avalia que existe "muito marketing". "Com a quantidade de recursos só é feito o feijão com arroz, mas, se faz muita propaganda pessoal do prefeito. Ele espalhou outdoors por toda a cidade. Onde está o Ministério Público tão atuante em outras cidades?", questiona.

Outros nomes

Além de Peccioli, a disputa deve contar com algum nome ligado ao grupo do prefeito Elvis Cezar. Ao Giro S/A, o prefeito garante que a decisão será tomada em grupo. "Vamos conversar com os integrantes do nosso grupo e chegar a um nome, mas ainda é cedo para apontar", afirma.

Nos bastidores, além dos nomes do vereador Marcos Tonho (PSDB) e do secretário de Assistência Social, Fabio Mendonça, o atual presidente da Câmara, Nilson Cadeirante (PHS), surge como possível candidato. "Não tenho essa pretensão, mas, faço parte de um grupo e tomaremos a decisão juntos. Caso todos apontem o meu nome para a disputa, vou assumir o desafio", finaliza o parlamentar Nilson Cadeirante. 

Veja também: