Em Osasco, reforma não sai

Um dos projetos chaves do governo Rogério Lins (PODE), anunciado no começo do mandato, ainda não foi votado. A reforma administrativa foi divulgada em sua primeira entrevista coletiva, na qual haveria a previsão de uma economia de R$ 5 milhões com a reestruturação dos cargos e de algumas secretarias. No entanto, o texto parou na Comissão de Constituição e Justiça e foi devolvido para a prefeitura e ainda não retornou. Na Câmara, por enquanto, a ideia dos vereadores é esvaziar a pauta que está lotada. "Estamos fazendo uma força-tarefa até o dia 29 para os principais projetos a gente colocar na pauta, fazermos a discussão. Vamos votar o que for bom para a cidade entrar nos trilhos", comentou o líder do governo, Ribamar Silva (PRP).