Destaque 

Grupo promove debandada do PRP após fusão com Patriota

Membros que pediram desfiliação - Foto: Divulgação

A insatisfação com a fusão entre PRP e o Patriota gerou uma verdadeira debandada de políticos da sigla em Osasco. A incorporação se fez necessária para que as legendas cumpram a meta da Cláusula de Barreira estabelecida na eleição de 2018, para que possa ter acesso ao Fundo Partidário em 2020. No entanto, 30 filiados decidiram deixar a legenda, entre eles, o presidente da Câmara de Osasco, Ribamar Silva, o vereador Daniel Matias e até o presidente da sigla, Sérgio Di Nizo.
"O Patriota não pode subestimar e tratar como coadjuvantes aqueles que obtiveram quase 32 mil votos nas urnas em 2016", disse Di Nizo.
O presidente da Câmara, vereador Ribamar Silva, explica que não podem ficar à mercê do desprestígio. "Defendemos a democracia, a participação popular ativa e um partido progressista", finaliza.
Com as baixas, o partido perde os únicos vereadores eleitos na região. Cotia, Barueri, Itapevi e Parnaíba não elegeram representantes do PRP.

NOVA CASA
O grupo ainda não definiu uma nova sigla, mas nos bastidores duas hipóteses ganham força.
Uma delas é que Ribamar e seu grupo siga para o Democratas. A segunda, é de filiação ao PSDB, que além de Ribamar também teria convidado o prefeito Rogério Lins. O objetivo é formar um grupo forte para disputar as próximas eleições que não terá coligações.

Veja também: