Destaque 

Eleição expõe rachas nos partidos

PODE. Igor Soares não apoiou nomes do partido e Ralfi Silva diz que não teve apoio da legenda

O tema eleição deve persistir na pauta dos políticos da região após o fim do segundo turno, principalmente depois de expor rachas internos nas legendas durante campanhas.

A fissura mais evidente ocorre no PSDB de Osasco. O presidente da Câmara, vereador Dr. Lindoso,afirma que o partido não está unido. "Se a situação continuar vou para outro partido. Eu até já recebi convites antes da eleição", garante. A "briga" ficou mais evidente, no sábado, 20, quando Dr. Lindoso organizou uma caminhada para os candidatos a presidente e governador – Jair Bolsonaro (PSL) e João Doria (PSDB). O ato não contou com a presença dos vereadores tucanos Didi e De Paula. "Fizemos uma reunião, junto com o Lindoso, e decidimos o ato para dia 27.", explica De Paula, presidente do PSDB em Osasco, que vai conversar com integrantes do partido. "Quem quiser seguir carreira solo que siga seu caminho, mas fora do partido", finaliza.

Podemos

Outra legenda que deve "discutir a relação" é o Podemos que apresenta divergências em Osasco e Itapevi. Em Osasco, o vereador Ralfi Silva, candidato a estadual, diz não ter recebido apoio. Ele foi o mais votado da legenda e obteve 14.715 votos, sendo 11.342 em Osasco. "Não recebi recursos e duas pessoas que declaram voto para mim foram exoneradas da prefeitura", afirma.

Na vizinha Itapevi, o prefeito Igor Soares declarou apoio ao candidato a governador João Doria, contrariando a indicação do partido em apoiar o candidato Márcio França (PSB). Além disso, Igor pediu votos para a deputada federal Bruna Furlan (PSDB) e não para a deputada federal Renata Abreu.

A presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, foi procurada mas até o fechamento desta edição não retornou à reportagem.

PT e PDT de Osasco

Apesar de nenhum integrante confirmar, os rachas também ocorrem no PT e PDT, em Osasco.

Nos bastidores, circulam informações de que existe um racha no PT. A "briga" é entre integrantes do grupo do ex-prefeito Emidio de Souza e do ex-deputado federal João Paulo Cunha. Ainda nos bastidores, dizem que João Paulo apoiou a candidatura a estadual de Gelso Lima (Pode).

No PDT, a situação de desconforto aconteceentre o ex-prefeito Jorge Lapas e o candidato a federal Carlos Gaspar, que declarou apoio a Gelso Lima. As duas partes dizem que já se entenderam.