Destaque 

Boca de urna, selfies e uso de celular dão cadeia

O Ministério Público(MP) vai intensificar o combate à boca de urna no domingo, 7, durante o primeiro turno das eleições. A Lei Eleitoral estabelece que a pessoa flagrada pode ser presa com detenção de seis meses a um ano, além de multa no valor de 5 mil a 15 mil UFIRs que passam de R$ 4.900. Selfie na urna também dá cadeia.

Para o cientista político Leonardo Barreto, a boca de urna perdeu importância nos últimos anos. "Pesquisas mostram que o percentual de pessoas que deixam para escolher seus candidatos em cima da hora é algo em torno de 10% dos eleitores". Também são proibidos máquinas fotográficas ou qualquer instrumento que possa comprometer o sigilo da votação.

No primeiro turno, o eleitor terá que digitar os números de seis candidatos na urna eletrônica: deputado federal, estadual, dois senadores, governador e presidente. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recomenda que os eleitores levem para a cabine de votação uma cola em papel. O Giro S/A sugere o modelo ao lado.