Após orçamento, vereadores elegem Ribamar presidente

Foto: Divulgação

Com direito a torcida organizada no plenário, os vereadores de Osasco elegeram, nessa quinta-feira, 20, Ribamar Silva (PRP), como presidente da Casa para o biênio 2019-2020. A eleição aconteceu após a sessão extraordinária que votou a Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício de 2019.

Ribamar foi eleito com 18 votos contra 3 do candidato adversário Tinha Di Ferreira (PTB), que também disputou ao cargo. A mesa diretora ainda será composta pelos vereadores Alex da Academia (PDT), vice-presidente; Toniolo (PC do B), 2º vice-presidente; Daniel Matias (PRP), 1º secretário; Lúcia da Saúde (PSDC), 2ª secretária; Jair Assaf (Pros), 3º secretário; e Pelé da Cândida (PSC), 4º secretário. A nova mesa assume a partir de 1º de janeiro e terá um orçamento de R$ 63 milhões.

Eleito, o futuro presidente prometeu que fará uma gestão democrática e ouvindo todos os vereadores e também que implantará uma Comissão de Ética na Casa. "Quero dar continuidade aos bons projetos e conversar para implantarmos uma Comissão de Ética. Sabemos que a tribuna nos dá imunidade, mas temos que usá-la com responsabilidade e respeito", disse.

Orçamento

Antes de escolher o presidente, os vereadores aprovaram o orçamento de 2019, que prevê uma receita de R$ 2.894.302,759. No entanto, os vereadores tiveram que votar uma emenda tirando o valor de R$ 127.373.557 do orçamento, devido a um mandado de segurança impetrado pelo vereador Tinha Di Ferreira que foi acatado pelo juiz Olavo Sá Pereira da Silva, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Osasco. Na ação, o parlamentar argumenta que essas operações ainda não foram aprovadas pela Câmara e, portanto, não poderiam ser incluídas no orçamento. Com a votação da peça orçamentária, a Câmara entra em recesso e só retorna em 5 de fevereiro.

Veja também: