Destaque 

Após cassação de Lili Aymar, Joca toma posse em Araçariguama

Lili Aymar em seu gabinete na Prefeitura - Foto: Divulgação

A prefeita de Araçariguama, Lili Aymar (PDT), foi cassada nesta quinta-feira, 07, por suposto uso de verbas públicas em locações de imóveis onde seriam instalados escolas municipais, mas segundo a denúncia a Prefeitura pagava e não usava as propriedades. Nesta sexta-feira, 08, às 10h, o vice-prefeito, João Batista Damy Corrêa Junior, o Joca (PV), toma posse como novo comandante da cidade. 

Em nota a assessoria da prefeita diz que não foi notificada e ataca vereadores. "Está sendo covardemente perseguida por se negar a participar da corrupção e não aceitar pagar propinas como ocorria descaradamente na gestão anterior, não foi notificada, foi cerceada de todos os seus direitos de defesa, ocorreram inúmeras nulidades e até mesmo fraudes criminosas na composição da escolha de membros da Comissão", afirma em nota Lili. 

Em sessão tumultuada, a prefeita teve o mandato interrompido pelos vereadores por 8 votos a 3. Ademário Jesus Mendes, Edmílson Antônio da Silva, Franciscano R. de Sousa, Nadivan Ferreira Maya, Jaime R. Moirinho, Jose Fernandes da Costa, Judvan Severino de Figueiredo e Moacyr de Godoy Neto votaram pela cassação. Já Fabio Aymar, Paulo Volcov e Raimundo Lopes Rocha votaram pela permanência da prefeita. 

Após a sessão, o vice-prefeito, comentou o processo de impeachment. Todo o processo seguiu os tramites legais. Este é um processo democrático. Estamos estabelecendo os atos da nossa constituição. Parabéns a democracia", fala Joca. Ele ainda explica sobre os desentendimentos com a gestora. "Por volta de oito meses eu já não entrava na prefeitura e até o carro usado pela minha pessoa foi retirado. Me jogaram em uma sala junto a cozinha em um prédio chamado PAM. Fui muito humilhado pela prefeita Liliane Medeiros (Lili Aymar)", diz ele a Gazeta de Araçariguama.  

Nesta semana a polícia Civil prendeu o diretor de transporte da Prefeitura por suposto esquema de locação de veículos na cidade. Prefeitura nega irregularidades. 

Nota na íntegra de Lili Aymar: 

"A Cassação se consumou...

Só não combinaram com Deus e com a população!!!

A Prefeita Lili Aymar, está sendo covardemente perseguida por se negar a participar da corrupção e não aceitar pagar propinas como ocorria descaradamente na gestão anterior, não foi notificada, foi cerceada de todos os seus direitos de defesa, ocorreram inúmeras nulidades e até mesmo fraudes criminosas na composição da escolha de membros da Comissão, conforme vídeos anexos, onde de maneira criminosa os papeizinhos com os nomes dos vereadores eram dobrados de maneira visivelmente a propiciar a fácil escolha dos membros que lhes convinham, não houve a possibilidade de oitiva de nenhuma das 10 testemunhas e a Prefeita na última fase do processo não teve a oportunidade legal de substituir o advogado que foi dispensado por ter contrato com a Câmara e ela (Prefeita Lili Aymar) não sabia. 

Para piorar o vereador Moacyr Godoy Presidente da Câmara, conforme áudios, a ameaçou de que se não aprovasse o Lixão a cassaria e cassou.

Por fim não foi se quer notificada pessoalmente. Sendo assim o processo ? nulo e fraudulento e será impetrado nas próximas horas o devido mandado de segurança.

Vale ressaltar ainda, que está prestes a ser hospitalizada, só não foi ontem porque iam dizer que estava fugindo. Está com imensa Cólica Renal, enorme pedra nos rins.

Finalizamos, reafirmando que não se trata de questão de um aluguel de 2 mil e sim de corrupção, pois ela não aceitou assinar o Lixão e pagar propinas para os Vereadores".