Logo Giro
Search
Close this search box.
giro

Osasco proíbe mata-leão após agressão a ciclista por GCMs

Logo Giro
Osasco proíbe mata-leão após agressão a ciclista por GCMs
GCM usa mata-leão para imobilizar ciclista em calçadão do Centro de Osasco (Reprodução/Redes Sociais)

A medida foi tomada após o caso de um ciclista, ter sido agredido por seis agentes da GCM de Osasco no Calçadão, com o golpe; saiba mais

A Prefeitura de Osasco publicou na noite de quinta-feira (4), um decreto que proíbe golpes como o “mata-leão” durante abordagens feitas pela Guarda Civil Municipal (GCM). A deliberação assinada pelo prefeito Rogério Lins (Podemos) e foi divulgada no Diário Oficial Municipal.

“É vedado aos agentes da Guarda Civil Municipal de Osasco, no exercício de suas funções, o uso de técnicas de estrangulamento, restando vedada a sua aplicação com qualquer parte do corpo ou com a utilização de qualquer tipo de instrumento”, afirma a resolução.

A medida foi tomada após o caso de um ciclista, de 27 anos, ter sido agredido por seis agentes da GCM no Calçadão do Centro da cidade, com o golpe. O caso aconteceu na última terça-feira (2). Os oficiais envolvidos na ocorrência foram afastados dos trabalhos nas ruas, e a Corregedoria da Prefeitura de Osasco investiga o caso.

Leia Mais: EMPREGO: Barueri, Osasco e mais 3 cidades são campeãs de vagas em maio no Estado

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) explicou que o caso foi registrado no 5º Distrito Policial do município como desacato e que aguarda o resultado do exame pericial feito no ciclista para anexar ao inquérito.

“Ficam mantidas as demais técnicas que compõem o curso de capacitação fornecido pela Escola de Formação e Ensino, a serem empregadas com estrita observância às disposições do Regulamento Disciplinar dos Servidores do Quadro dos Profissionais da Guarda Civil Municipal de Osasco”, ressalta o decreto.

Osasco: mais detalhes da ocorrência

Conforme o boletim de ocorrência, o barbeiro Gustavo Almeida disse que estava indo para o trabalho, pedalando pelo calçadão da rua Antonio Agu, quando foi abordado por um grupo de guardas municipais. Os agentes afirmaram que não era permitido o tráfego de bicicleta pela via de comércio.

No depoimento, o indivíduo relatou que discutiu com um dos agentes para que a bicicleta não fosse retirada dele e, em seguida, foi imobilizado com o “mata-leão” por vários outros colegas de farda do GCM.

“Todos os dias passo pelo calçadão de Osasco e nunca me aconteceu de ser abordado, muito menos daquela maneira. O policial já chegou colocando a mão na minha bicicleta e no meu braço, me obrigando a parar. Pedi para eles tirarem a mão de mim e começou uma discussão. Os policiais me forçaram a encostar a bicicleta e me neguei a descer da bicicleta”, contou Gustavo ao programa SPTV, da Rede Globo.

Em imagens captadas por populares que passavam pela via, é possível ver o homem sendo imobilizado com o golpe, pelos oficiais. Anteriormente, o ele também foi ele foi atingido por spray de pimenta no rosto.

Leia Mais: Indústria oferece 100 vagas em Barueri, Itapevi, Jandira e Osasco

Nas gravações, também foi possível ver trabalhadores da região gritando com os guardas, pedindo que ele fosse liberado. Contudo, ainda conforme o depoimento, o barbeiro foi algemado e colocado dentro da viatura da guarda.

O indivíduo afirmou que ao ser detido, foi levado para a base da GCM perto da estação Osasco, da Linha 8 e 9. No local, ele foi agredido por cerca de dez outros policiais que faziam a ronda no calçadão do Centro.

Segundo a vítima, agressões também ocorreram na base da GCM (Reprodução/Redes Sociais/Google Street View)

Para o programa SP1, Gustavo narrou que também foi constrangido na delegacia pelos guardas e não conseguiu registrar oficialmente a versão dele sobre os fatos ocorridos no local. O caso foi registrado no 5º Distrito Policial e no boletim de ocorrência não há nenhuma referência às agressões.

 “Eles me levaram de viatura para um lugar onde ficam todos [os GCMs] reunidos, ao lado da Estação de Osasco. E me espancaram. Mais de dez policiais usando cacetetes. Estou com os hematomas e meu corpo todo dolorido até agora. Me trataram como se eu fosse o pior ladrão do mundo. Como se eu fosse um assassino, estuprador ou algo do tipo. Todos com muito ódio”, afirmou.

Devido as pancadas, Gustavo teve diversos hematomas pelo corpo e uma torção no braço. Ele fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) da cidade e foi levada à unidade de pronto-atendimento da região.

O que diz a Prefeitura de Osasco

Osasco proíbe mata-leão após agressão a ciclista por GCMs
Corregedoria de Osasco vai apurar o caso (Reprodução/Redes Sociais)

Por meio de nota, a Prefeitura de Osasco disse que afastou seis guardas-civis envolvidos na ação do trabalho nas ruas.

Eles serão investigados pela Corregedoria da corporação e ficarão em trabalhos administrativos até a conclusão do inquérito interno, disse a gestão do prefeito Rogério Lins (Podemos).

Confira abaixo a nota da Prefeitura de Osasco, encaminhada ao portal G1.

“Sobre a atuação de equipes da GCMs na abordagem de um cidadão no Calçadão de Osasco, a Prefeitura de Osasco, por meio do comando da Guarda Civil Municipal, informa:

 Assim que tomou conhecimento das imagens que estão sendo compartilhadas em redes sociais, o comando da GCM as repassou à Corregedoria para a devida apuração.

Os GCMs envolvidos já foram afastados de suas funções nas ruas e ficarão na área administrativa até a conclusão das apurações”.

*com informações do portal de notícias G1.

Jornalismo regional de qualidade
Há mais de 16 anos, o GIRO noticia os acontecimentos mais importantes nos seguintes municípios: Araçariguama, Barueri, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba, São Roque e Vargem Grande Paulista. Agora, junta-se a eles, as cidades de Jundiaí e São Paulo.

Siga o perfil do jornal no Instagram e acompanhe outros conteúdos.

Receba nossas notícias em seu e-mail