Destaque 

Estado tem queda de mortalidade infantil, mas região foge à regra

Estado tem queda de mortalidade infantil, mas região foge à regra
Itapevi, Pirapora e Osasco tiveram queda na mortalidade infantil
De acordo com dados divulgados pela Fundação Seade nesta semana, o Estado de São Paulo teve sua menor taxa de mortalidade infantil já registrada. No ano passado, 10,7 nascidos até um ano de idade morreram para cada 1 mil que nasceram. Por outro lado, cinco cidades da região oeste tiveram alta en​tre 2014 e 2015 no número de óbitos.

A estatística do Registro Civil do Estado de São Paulo foi feita com base em mais de 820 Cartórios, que enviam mensalmente os eventos registrados em todos os municípios paulistas.

A taxa de 10,7 no estado é menor do que os 11,1 das cidades de Barueri, Cotia, Itapevi, Osasco, Santana de Parnaíba, Carapicuíba, Jandira e Pirapora do Bom Jesus, que compõem o Cioeste (Consórcio Intermunicipal da Região Oeste). Nas oito cidades, foram 406 óbitos de menores de um ano para 36,6 mil nascidos no período.

Cidades
Três municípios tiveram baixa em 2015. Em Itapevi foram 6,6 mortes para cada mil nascidos, seguido de Pirapora com 7,4 e Santana de Parnaíba, com 8,8. No entanto, os parnaibanos tiveram menos mortes um ano antes, 8,4. Na cidade de Osasco, a mortalidade infantil teve seu menor patamar em cinco anos.

Os destaques negativos ficaram com Jandira, com 14,9 mortes para cada mil nascidos, e Barueri e Carapicuíba, acima de 13, as piores taxas dos três municípios desde 2011.