Logo Giro
Search
Close this search box.
giro

​Em operação contra fraudes, Justiça cumpre mandados de busca e apreensão em Barueri e Osasco

Logo Giro
A ação teve como objetivo investigar sobre a prática de fraude fiscal estruturada no ramo de embarcações de luxo, organização criminosa e lavagem de dinheiro (Divulgação/Secretaria da Fazenda do Estado SP)

O Ministério Público de São Paulo deflagrou ontem (22), a Operação Cavalo-Marinho. A ação teve o cumprimento de 19 mandados de busca e apreensão na capital paulista e nos municípios de Barueri, Osasco, Itupeva, Jundiaí e Mairiporã.

Com documentos expedidos pela Justiça de Osasco, a ocorrência foi realizada pelo Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira-SP). A ação teve como objetivo investigar a prática de fraude fiscal estruturada no ramo de embarcações de luxo, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Roberta Ramalho, de 27 anos, sócia da Falcon Estaleiros do Brasil, razão social da Intermarine, sediada em Osasco, foi uma das investigadas pela operação. A jovem empresária já figurou na lista dos 30 jovens mais promissores do Brasil, em levantamento feita revista “Forbes”, em 2016.

Segundo o Ministério Público, a companhia tem uma dívida superior a R$ 54 milhões com o estado de São Paulo e de, aproximadamente, R$ 490 milhões com a União (Divulgação/Secretaria da Fazenda do estado SP)

Segundo o Ministério Público, a fabricante de barcos de luxo tem uma dívida superior a R$ 54 milhões com o Estado de São Paulo e de aproximadamente R$ 490 milhões com a União. Os débitos são relacionados à inadimplência tributária e uma sofisticada blindagem patrimonial.

“De acordo com as investigações, a fraude iniciava-se com a interposição de pessoas (laranjas) na estrutura societária das empresas do grupo econômico, sendo uma delas um conhecido cavaleiro. Da conjunção da atividade náutica com a prática do hipismo, surgiu o nome: Operação Cavalo-Marinho”, afirmou o órgão estadual.

Além das fraudes, há suspeitas de que a venda das embarcações ocorria com subfaturamento do seu valor – diferença entre o preço que se ajustou e aquele que foi cobrado a menos na fatura.

O CIRA-SP é composto por integrantes da Secretaria da Fazenda e Planejamento doEstado de São Paulo (Sefaz-SP), da Procuradoria Geral do Estado (PGE), da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), do Ministério Público do Estado de São Paulo, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO). Agentes das Polícias Civil e Militar também participaram da ação.

Além das instituições integrantes do CIRA-SP, a Operação Cavalo-Marinho conta com a participação da Procuradoria Regional da Fazenda Nacional na 3ª Região (PRFN3) e com o apoio da Polícia Civil, por meio do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DOPE), e da Polícia Militar. 

Receba nossas notícias em seu e-mail