Destaque 

A rede de quase R$ 1 bilhão

Foto: Divulgação

Com um agressivo plano de expansão pelo país, o Madero, prestes a abrir sua primeira casa em Osasco, vai finalizar 2018 com 38 novas operações, chegando a 140 unidades entre Madero containers e steakhouses e a hamburgueria Jeronimo. Na região, há mais duas unidades em Alphaville – uma recente no 18 do Forte e outra aberta no ano passado no Shopping Tamboré.

Crescendo fortemente nos últimos anos, em plena crise, Giuglio Munaretto, diretor de Operações do Grupo Madero, atribui à qualidade a receita do sucesso. "Um dos focos é a qualidade do serviço e dos produtos que servimos, gostamos de ter tudo dentro de casa. Temos a nossa cozinha industrial em Ponta Grossa (PR). Temos logística própria, que nos permite ter controle de ponta a ponta no país e também a nossa fazenda própria, onde produzimos a alface e o tomate orgânicos. Acredito que somos a primeira rede desse porte a ter um projeto de orgânicos para todos restaurantes. Então temos essa obsessão total pela qualidade e pelos detalhes, o que faz com nossos resultados aconteçam e o cliente reconhece isso."

Os resultados são mesmo positivos. O grupo Madero vai encerrar 2018 com faturamento próximo a R$ 1 bilhão, cifra que certamente será atingida em 2019.

No mês passado, o fundo de private equity Carlyle concluiu a compra de 22% da rede paranaense por R$ 700 milhões. O apresentador Luciano Huck possui 5% da sociedade. "Com a Carlyle, vamos quitar nossa dívida com o fundo HSI e entrar mais agressivos em nosso plano de expansão", explica Munaretto.

Em Osasco, o formato será de container, que possui preços mais acessíveis, já que não há atendimento nas mesas. Nesse modelo, o ticket médio (preço médio pago por pessoa) é de R$ 45 a R$ 50.

Para 2019, a previsão é de abrir 52 novos restaurantes. Munaretto garante que ainda há muito potencial para crescer mais.

Veja também: