Destaque 

Sem ações para o trânsito, Dia Sem Carro “passa batido”

Sem ações para o trânsito, Dia Sem Carro “passa batido”
Estudo } Em 2013, congestionamentos atingiram 300 km por dia na Grande SP
Na próxima quinta-feira (22), será lembrado o Dia Mundial Sem Carro [www. vadebike.org/dia-mundial- sem-carro/], um movimento que estimula cidadãos, empresas e governos a adotar diferentes meios de transporte na data, como bicicletas, carona ou transporte público. O objetivo da ação é sensibilizar e mobilizar a comunidade em torno das questões relacionadas à mobilidade urbana.
Apesar da região possuir uma frota de 866.868 veículos, segundo dados de junho deste ano do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), as administrações não cumpriram promessas antigas​ de projetos e obras para desafogar o trânsito. Entre as propostas não contempladas, em Osasco, está a terceira ponte, que ligaria o centro ao Rochdale. A Prefeitura diz que aguarda verba federal. A obra inacabada do viaduto sobre a Alameda Araguaia, em Alphaville, Barueri, ficará de herança para a​ próxima gestão. A duplicação da Via Parque, entre Barueri e Santana de Parnaíba, iniciada há mais de um ano, ainda não foi concluída por nenhum dos dois municípios. O Corredor Metropolitano Oeste, execução da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos [EMTU], entre Itapevi e a capital, também não foi entregue. A previsão era 2014, mas deve ficar para 2017 por problemas com as empresas vencedoras das​ licitações. Na cidade de Cotia, o Monotrilho, projeto estadual, ainda aguarda estudos.

Congestionamento
Na Grande São Paulo, os congestionamentos atingiram, em média, 300 km por dia em 2013 e o prejuízo ultrapassou R$ 69 bilhões, segundo estudo do Sistema FIRJAN. O número de viagens disparou entre as 11h e 13h, que saltou de 4 milhões, em 2007, para 5 milhões, em 2012.