São Paulo recebe Salão do Estudante nos dias 14 e 15 deste mês

ED127E70-905C-40BA-B8AB-E20E66B3319C

Conversar diretamente com diretores das universidades estrangeiras onde se pretende fazer a graduação ou pós-graduação é uma das vantagens que o Salão do Estudante vai oferecer aos brasileiros entre os dias 9 e 20 de setembro, em seis capitais do país.

O Salão do Estudante começará pelo Rio de Janeiro nos dias 9 e 10 deste mês, no Hotel Rio Othon Palace, em Copacabana, e no Windsor Marapendi, na Barra da Tijuca; segue depois para Curitiba, no dia 12; São Paulo, nos dias 14 e 15; Salvador, no dia 17; Brasília, no dia 19; e Belo Horizonte, no dia 20.

Cadastro de estudantes: para participar do evento é preciso se cadastrar no site www.salaodoestudante.com.br.

Considerado a maior e mais completa feira de educação da América Latina, o Salão do Estudante chega ao seu vigésimo quarto ano e quadragésima edição trazendo oportunidades de estudos na Alemanha, Argentina, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Irlanda, Japão, Noruega, Nova Zelândia, Portugal, Reino Unido, Suíça e Suécia.

Na edição de março deste ano, no Brasil, foram 35 mil estudantes pré-inscritos e mais de 20 mil participantes. Nesta edição de setembro, a previsão é também de 20 mil participantes nas seis cidades.

Mais procurados

Os Estados Unidos ainda são o país líder na procura para estudo no exterior e também para turismo. "Eles têm um número absurdo de faculdades e universidades para oferecer", salientou a diretora de Eventos da BMI. Canadá vem em segundo lugar.

Na pesquisa feita pela empresa com estudantes brasileiros, Portugal está aparecendo em terceiro lugar devido, em parte, ao fato de muitas universidades estarem aceitando o ingresso com o resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). "Isso facilita absurdamente", comentou. "Entrar em uma universidade portuguesa pode ser o primeiro passo para sua experiência internacional, ainda mais se o estudante não tiver uma segunda língua, como inglês ou espanhol".

Em seguida, vêm Inglaterra, Irlanda, Austrália, Nova Zelândia, França, Itália. As novidades do novo Salão do Estudante no Brasil ficam por conta do Japão, Noruega e Suécia, que estão enviando representantes.

Os cursos mais procurados são os de idiomas, seguidos de graduação e pós-graduação e de ensino médio. Priscilla revelou que houve um aumento significativo da procura no Salão por mulheres. "Nos últimos dois anos, a preferência do público feminino cresceu 11%. As mulheres estão querendo investir mais na própria educação e na carreira. Elas sabem que investir em uma graduação fora vai preparar o seu currículo para quando ela voltar e quiser um bom emprego, ela vai conseguir".

As áreas do ensino superior que mais atraem os estudantes continuam sendo engenharias e administração. Em seguida, vêm ciência da computação, design, arte, marketing e relações internacionais, além de saúde e advocacia. Priscilla informou que Portugal trará para o evento um grupo especial de 13 instituições politécnicas que oferecem vários ramos de engenharia.

Em termos de idiomas, o inglês lidera o ranking, seguido por espanhol, francês, italiano e alemão.

Custos

Priscilla Gomes estima que um curso de inglês na Califórnia, por exemplo, com duração de quatro semanas, pode ser feito com custo de US$ 1 mil. Já os cursos de graduação podem variar bastante, dependendo do país onde a pessoa vai estudar. Se for para Estados Unidos, Canadá e Europa, para um período de quatro anos, seria algo em torno de US$ 30 mil.

Priscila comenta que os gastos para cursar uma graduação em Portugal são bem competitivos com os do Brasil. Ela adverte, por outro lado, que as universidades públicas portuguesas, ao contrário do que ocorre no Brasil, não são gratuitas, embora tenham custo reduzido. "Mas esse custo costuma ser mais barato do que as universidades privadas. Então, é de se considerar que apesar de a pessoa estar indo para Portugal, estudando em uma universidade de lá, mesmo com os gastos que vai ter com acomodação e alimentação, vai sair por um valor que pode ser mais barato do que uma universidade particular no Brasil. Ao mesmo tempo, ele vai terá esse contato com culturas diferentes. E é o primeiro contato internacional", salientou.

Além das oportunidades de estudo e intercâmbio no exterior, o Salão do Estudante terá nesta edição a participação de instituições de câmbio, agências de viagens, além de seguro de saúde e de viagem.