Residências menores são tendência

Uma das tendências do mercado na região é o crescimento no sentido interior - Foto: Vagner Santos/SECOM-PMC

Há cerca de 10 anos, o número de empreendimentos começou a aumentar em Cotia. "Oportunidades surgiram devido ao preço do metro quadrado ser bem mais acessível que os de SP", afirma Hélio Alterman, diretor da Proinvest.

O sentido capital da Rodovia Raposo Tavares ganha condomínios fechados de casas, menores e com menos unidades. "A chegada desses empreendimentos mudou o perfil de quem procura imóveis. A geração mais jovem quer imóveis sustentáveis, com áreas de convivência e até compartilhados. Os preços são bem acessíveis e facilitados. Além disso, a região ainda tem muito verde", conta Alterman, que ressalta a falta de melhorias na rodovia para melhor tráfego.

A Avenida Fernando Nobre também ganha condomínios. "Essa via possibilita a saída para a Rodovia Castelo Branco. São semelhantes aos da Granja Viana e este ano teremos o lançamento de um centro logístico na região", diz o diretor.

Edifícios também estão surgindo. "Foi lançado um de alto padrão, de 105 a 242 m², ao lado do Open Mall The Square", afirma Alterman.

Clodoaldo O. M. Junior, diretor da Zatz Empreendimentos, cita os edifícios voltados à classe C. Junior diz que a tendência do mercado na região é crescer no sentido interior. "As pessoas têm preferência por casas de preço convidativos, as menores, geminadas", afirma o diretor.

Junior ressalta que existe pouco investimento na mobilidade. "Faltam desenvolver novas pistas e ligações, além de outras formas de transporte coletivo", diz ele.

Veja também: