Destaque 

Osasco tem 42 quedas de árvore nas chuvas este ano

Serviços de poda e corte ocorrem conforme a necessidade, como na Vila São Francisco - Foto: Edivaldo Santana/GIRO S/A

No final de fevereiro, dia 26, a prefeitura de Osasco atendeu muitas emergências devido às chuvas. "Os ventos chegaram a 90 km/h. Caíram 32 árvores", conta Marcelo Silva, conhecido como Marcelão, secretário de Meio Ambiente de Osasco. De janeiro para cá (13 de março), 42 árvores caíram. "Não é um número elevado. Mas as quedas trazem transtornos para o trânsito e faz cair a rede elétrica", diz Marcelão.
O corte e poda é um trabalho do dia a dia. "Os cortes só ocorrem com laudo técnico", afirma. Munícipes podem ligar para o 156.
Em Barueri, a Secretaria de Meio Ambiente (Sema) fez 3.780 podas e 756 cortes/transplantes em 2018. "Emitimos 905 pareceres sobre árvores", diz Ivan Vanderley Silva, biólogo e diretor do Departamento Técnico de Biodiversidade. Nas chuvas do final de fevereiro, 11 árvores caíram e houve a queda de seis galhos grandes.
A secretaria vistoria árvores em que há solicitação de intervenção ou situação de risco. A demanda é grande. "Vistoriamos cerca de 3.000 árvores por ano", diz Silva. A Sema está realizando o inventário das árvores de calçadas e praças públicas, estimado em 2.400 km de calçadas.
A Defesa Civil de Cotia está atendendo ainda chamados de fevereiro. O território é vasto e com muitas árvores. É feita a vistoria e análise de árvores doentes e avalia-se a necessidade de retirada ou poda. As com risco são retiradas. Poda preventiva é feita em escolas municipais e UBS'

Veja também: