Sidebar Menu

Lins suspende pagamento de dívidas com o município por 90 dias

​Segundo o decreto, a quarentena não se aplica a hospitais, clínicas, hospitais veterinários e clínicas veterinárias, clínicas odontológicas, farmácias, lavanderias e serviços de limpeza e hotéis.

Foi publicado na edição do IOMO (Imprensa Oficial do Município de Osasco) desta segunda-feira, 23, o decreto nº 12.399, que estabelece a quarentena no município de Osasco até dia 7 de abril. Com a medida todos os comércios da cidade devem permanecer fechados. Só permanecem abertos os serviços considerados essenciais.

Leia mais: Prefeito decreta quarentena em Osasco


No mesmo documento, o prefeito Rogério Lins (Pode) estabeleceu a suspensão do pagamento de dívidas com o município, pelo prazo de 90 dias. "A fim de mitigar as consequências econômicas da pandemia da COVID-19, ficam suspensos, por 90 (noventa) dias, os atos destinados a levar à protesto os débitos inscritos na dívida ativa do município", diz o texto do decreto.

Segundo o decreto, a quarentena não se aplica a hospitais, clínicas, hospitais veterinários e clínicas veterinárias, clínicas odontológicas, farmácias, lavanderias e serviços de limpeza e hotéis. Hipermercados, supermercados, mercados, feiras livres, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e centros de abastecimento de alimentos, assim como os serviços de entrega "delivery" e "drive-thru" de bares, restaurantes e padarias também estão liberados. O abastecimento é outra área considerada fundamental, por isso transportadoras, postos de combustíveis e derivados, distribuidoras de gás, armazéns, oficinas de veículos automotores e borracharias seguirão funcionando, assim como serviços de segurança privada.

Veja mais notícias sobre PolíticaMetrópole.

Veja também: