Habilitação para motos: emissões do documento cresceram 209% na região no mês de março

Segundo a Abraciclo, presença feminina na categoria A aumentou 81,5% em nove anos e soma mais de oito milhões de condutoras
O número de primeiras habilitações para categoria A emitidas em março deste ano, cresceu 64,7% no estado paulista(Tânia Rêgo/Agência Brasil)

No mês de março deste ano, cerca de 108 pessoas tiraram a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), na categoria A, nas 12 cidades que fazem parte consórcio da Região Oeste da Grande São Paulo. Este número representa um aumento de 209% em relação ao mesmo período de 2021. Os dados foram levantados com exclusividade pela reportagem do Giro S/A, junto ao Detran-SP, nesta quarta-feira (4).

Osasco e Carapicuíba estão entre os municípios que mais emitiram o documento, no terceiro mês do ano, com 28 e 26 documentos respectivamente. No ano passado, ambas localidades registraram nove e oito permissões expedidas. Segundo o órgão estadual de trânsito, a categoria A da CNH permite a condução veículos motorizados de duas ou três rodas, como motos, motoneta e triciclo.

Em todo o estado, ainda de acordo com o departamento, o número de primeiras habilitações para categoria A emitidas em março deste ano, cresceu 64,7% no estado paulista, se comparado com o mês de fevereiro. Foram 2.002, contra 1.214 no mês de fevereiro. Esse é o maior número registrado desde janeiro de 2020, quando 2.104 habilitações foram emitidas.

Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), a alta desenfreada nos preços dos combustíveis foi um dos fatores decisivos para muitos motoristas optarem pelas motocicletas.

"A motocicleta é um veículo ágil, econômico, com preço acessível e de baixo custo de manutenção. A procura cresceu muito durante a pandemia, com o aumento dos serviços de entrega e o maior uso nos deslocamentos urbanos para evitar a aglomeração do transporte público", explica o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian. "A elevação nos preços dos combustíveis também tem levado mais pessoas a olharem para a motocicleta como uma alternativa", completa.

Em sequência, em março de 2022, Itapevi anotou 11 documentos concedidos, Santana de Parnaíba registrou dez documentos emitidos e Cotia catalogou nove. Entre os municípios que menos tiveram registros de novos documentos estão Jandira com oito, São Roque com sete, Barueri com cinco e Cajamar com quatro. Segundo o Detran-SP, em 2022 forma emitidas 4.407 habilitações somente da categoria A, em todo o estado de São Paulo.

Ainda de acordo com a Abracielo, os emplacamentos de motocicletas no primeiro trimestre somaram 274.673 unidades, o que corresponde a uma alta de 33,7% na comparação com o mesmo período do ano passado (205.444 motos).


O Detran possui mais de dois mil centros de formação para condutores de motos em todo o estado de SP (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Aumento da presença feminina
A presença feminina também aumentou na categoria A. Há nove anos, 4.512.753 pessoas do gênero feminino tinham licença para pilotar. De acordo com dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), analisados pela Abraciclo, até outubro do ano passado, esse número saltou para 8.190.135, o que representa um crescimento de 81,5% em nove anos.

Cada vez mais presentes nas ruas e avenidas do Brasil, as mulheres representam cerca de 31% dos compradores, segundo levantamento da Abraciclo. "As mulheres são mais exigentes e cuidadosas na hora da compra: querem um modelo que ofereça segurança, alto nível tecnológico e conforto, mas sem perder em design e praticidade", comenta Marcos Fermanian, presidente da Associação.

Orientações
Para os motoristas que desejam tirar a habilitação na categoria A, segundo o Detran-SP, podem procurar um dos cerca de 2.748 centros de formação de condutores (CFC's) cadastrados.

"A legislação prevê que o cidadão realize o exame médico, psicológico (psicotécnico) e 45 horas de curso teórico. Ao final, o aluno realiza o exame teórico. Após concluir esse processo, serão mais 20 horas de aulas práticas de direção veicular. Por fim, o teste prático", explicou o órgão. Para mais informações, o Departamento de Trânsito traz o passo a passo completo pelo site

À reportagem, o Detran-SP explicou também que os condutores nas categorias B, C, D ou E, que desejem conduzir moto (categoria A) devem solicitar a adição de categoria. Após o processo, a Carteira Nacional de Habilitação exibirá as duas categorias de veículo que o motorista está apto a dirigir.

Veja mais notícias sobre AutosMetrópole.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Terça, 09 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://girosa.com.br/