Fiscalização à pirataria é mais fraca na região

Relógios falsificados estão entre itens apreendidos - Foto: Receita Federal/Divulgação

O combate à venda de produtos piratas e/ou contrabandeados é baixo na região. A reportagem flagrou diversos pontos de venda desses produtos nos principais centros de comércios das cidades. A fiscalização, que é forte na capital, por aqui é lenta.

"Diante da escassez de recursos e do menor vulto dos ilícitos, são menos as ações programadas nessas cidades que na capital", informa o chefe da Divisão de Vigilância e Repressão ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal em São Paulo, Alan Towersey. Ele ainda diz que "ações de repressão na região foram concentradas em armazéns de distribuição de produtos onde se apreende grande quantidade".

Em nota, a Prefeitura de Osasco diz que em 2018 fez apreensões e a soma de piratas (CDs, DVDs e cigarros) chegou a 1,5 tonelada. Barueri informa que não teve apreensões porque o rigor da fiscalização coibiu a prática.

Veja também: