Especial 11 anos: Produto com peso, cheiro e existência física

O jornalismo regional, focado em bairros e cidades, é importante em todo mundo. "E nos últimos anos vem se tornando mais relevando diante da necessidade das pessoas terem interesse de saber o que acontece perto delas e pela crise da grande mídia tradicional. Jornais menores conseguem ocupar espaços do cotidiano que a grande mídia não tem mais perna e braço para fazer porque não tem estrutura", explica André Cioli Santoro, mestre em comunicação e professor de jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Para ele, o impresso por mais que esteja em menor circulação, é um suporte que dá muita legitimidade, o qual o leitor se identifica com o produto que tem na mão. "É essencial para garantir aos leitores que aquele produto existe, que tem circulação, que tem cheiro, peso. Acredito que o jornalismo ainda depende dessa existência física para continuar tendo credibilidade entre os leitores", ressalta Santoro.

Como orientador de trabalhos de conclusão de curso e trabalhos científicos no Mackenzie, o professor, que leciona há 15 anos, se surpreendeu ao receber de um aluno a proposta de uma iniciação científica sobre jornalismo regional. "Pode ser um sintoma de que as novas gerações se preocupam com esse tipo de jornalismo", conclui o professor.

Veja também: