Destaque 

Apenas 3% dos crimes foram solucionados em 2018

Especialista aponta deficiência nas polícias

Um levantamento em todos os inquéritos instaurados para investigar crimes contra o patrimônio em Osasco, Carapicuíba, Cotia, Santana de Parnaíba e Itapevi tiveram baixa elucidação dos delitos. A média de esclarecimento gira em torno de 3,6%.
Durante o ano, foram registrados 13.092 "roubos outros" nas 6 cidades e somente 427 casos (3,26%) foram esclarecidos pela Polícia Civil, responsável pelas investigações, menos de 4%. Dos 10.953 "furtos outros" somente 472 foram resolvidos, 4,31%. Ocorreram 4.548 furtos de veículos sendo 84 evidenciados, 0,18%. De veículos roubados foram 2.681 e 145 resolvidos, 5,41%. Já o roubo de carga marcou 529 fatos e somente 17 esclarecidos pelas investigações, 3,21%.
Segundo o Instituto Sou da Paz, um dos motivos para baixa eficácia na resolução dos casos pode ser a pouca ênfase a Segurança Pública nas investigações, com o maior foco no policiamento ostensivo. "Esse é um investimento que em geral traz mais ganhos imediatos. A população vê a polícia e traz mais ganhos políticos. Além disso, há escassez de servidores nas polícias civis e técnico-científicas. Em São Paulo faltam delegados e escrivães, além das más condições de trabalho", analisa Stephanie Morin do Sou da Paz.
Procurada, a Secretaria de Segurança Pública não se manifestou.

Veja também: