T-Cross de entrada é um SUV moderno e 'raiz'

Acabamento é simples e banco de trás ideal até 2 adultos e 1 criança. Mas o T-Cross 1.0 é uma aposta acertada da Volks e logo vai figurar entre os líderes do segmento

Há tempos, a Volkswagen devia um SUV compacto ao mercado brasileiro. O T-Cross chega em um momento em que o segmento é dominado pelos Jeeps Renegade e Compass, Nissan Kicks, Honda HR-V e Hyundai Creta.
A disputa não é fácil, mas a Volks fez suas apostas. Uma delas foi lançar o SUV com motor 1.0 turbo de três cilindros com câmbio manual de seis marchas. O desempenho agrada: seus 128 cv de potência, quando abastecido com etanol, tornam o carro ágil e divertido de dirigir.
Outro fator positivo é o bom acerto da suspensão, mantendo o carro confortável e seguro. A posição de dirigir e os comandos também estão bem acertados, com a ajuda da assistência elétrica da direção.
Essa versão de entrada avaliada pelo Giro S/A parte de R$ 84.990 e traz de série ar-condicionado, direção elétrica, trio elétrico, volante multifuncional, faróis escurecidos, rodas de liga leve de 16", sensor crepuscular e de estacionamento traseiro.
Outra "aposta" foi nos itens de segurança: 6 airbags (frontais, laterais e de cortina), controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampas e freios a disco nas 4 rodas. Em testes de colisão por uma entidade independente, o T-Cross alcançou nota máxima de 5 estrelas na proteção adultos e crianças.
O acabamento é simples e dispensa elegância com seu plástico rígido em painel, portas e porta-trecos. O espaço atrás é bom para as pernas, mas um pouco apertado para levar três adultos (o banco do meio é ideal para criança). O porta-malas acomoda 373 litros, mas pode aumentar espaço para 420 l ao ajustar o banco traseiro, mas menos confortável aos ocupantes que vão atrás.
O T-Cross 200 TSI vai agradar a quem gosta de dirigir um bom carro, trocar marchas, ter boa segurança e não se importar com acabamento mais despojado

Veja também: